Já pensou em se tornar um Data Protection Officer? Saiba como

Profissional será encarregado da cultura de proteção dos dados pessoais dentro das empresas

Patricia Peck

13/08/2019

Você pode ainda não saber, mas a criação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) abriu uma nova oportunidade de carreira no Brasil. A legislação, que entra em vigor em agosto de 2020, abre espaço para a figura do DPO, sigla em inglês de Data Protection Officer. Em linhas gerais, este profissional irá atuar como um encarregado pelos dados pessoais e pela cultura de proteção dessas informações dentro das empresas.

 

 

Ficou interessado na função? Se sim, a boa notícia é que, por ser uma atividade exigida por lei, a tendência é que a demanda fique aquecida daqui para a frente, seja por profissionais contratados ou prestadores de serviço (terceirizados). Saem na frente os profissionais que já possuem experiência no recebimento de reclamações, atendimento ao cliente, gerenciamento de crises e relações com o público em geral, entre outras atividades. Além disso, os profissionais da área de segurança da informação, compliance e dados também estão bem cotados para esta nova posição.

Experiência no recebimento de reclamações, atendimento ao cliente, gerenciamento de crises e relações com o público são valorizadas para quem quer abraçar a carreira de DPO

Apesar de não haver o pré-requisito de uma certificação técnica para se tornar um DPO, a orientação da colunista Patricia Peck é que os profissionais que querem concorrer a estas vagas procurem se atualizar nos cursos que estão surgindo sobre o assunto. Acesse o vídeo para conferir todas as dicas da especialista em direito digital para aproveitar essas oportunidades e seguir a carreira de Data Protection Officer:

 

Receba somente o que importa sobre transformações digitais