3 livros para ser mais feliz na vida e no trabalho

Não há guia nem fórmula certa para a felicidade, mas essa lista pode te ajudar nessa busca
18/07/2019

O psiquiatra Sigmund Freud defendia, lá na década de 30, que todo indivíduo é movido pela busca incessante pela felicidade. Passadas quase nove décadas, a premissa nunca esteve tão atual. E, nessa jornada moderna de procura por uma vida feliz, o trabalho, há muito tempo, deixou de ser só um simples ganha-pão para ser um meio de sucesso e realização e, consequentemente, de felicidade. Para te auxiliar nessa busca, o IT Trends preparou uma lista de três leituras relevantes para a procura por equilíbrio e propósito. Confira:

 

“O Segredo da Dinamarca” – Helen Russel

Editora LeYa

 

Do que se trata?

A Dinamarca é o segundo país mais feliz do mundo, segundo o World Hapiness Report 2019, o famoso ranking global das nações com o maior índice de felicidade (no qual o Brasil ocupa a vergonhosa 32ª colocação). Por anos, a Dinamarca ocupou o primeiro lugar dessa lista, perdendo recentemente para Noruega e, depois, para a Finlândia – que ocupa o topo da lista nos dois últimos rankings – o que não invalida a necessidade de estudar o país que está sempre entre os primeiros colocados. Nesse livro, a jornalista inglesa Helen Russell mostra que a fama de cidadãos felizes dos dinamarqueses não se deve somente às boas condições proporcionadas pelo governo, e engloba uma série de pequenos hábitos.

Tendo como ponto de partida a sua mudança repentina para o país, após a transferência de seu marido para a sede da Lego na Dinamarca (e se surpreende ao descobrir que lá as pessoas saem do trabalho às 16 horas), a jornalista investiga as razões de tanta felicidade e as sintetiza em uma lista de dez passos que podem ser facilmente seguidos em qualquer lugar do mundo.  Cada um dos passos vai sendo desvendado aos poucos por meio de acontecimentos do próprio dia a dia da autora e encontros com diferentes especialistas locais. Todo o processo é retratado no livro de forma leve e, por vezes, cômica, o que facilita a leitura.

 

E o que isso tem a ver com meu trabalho?

 

Não por acaso, a Dinamarca também está no topo das listas em termos de motivação profissional. A página oficial do país na internet afirma ter o “melhor equilíbrio entre trabalho e vida pessoal do mundo, um excelente clima de negócios e um estado de bem-estar eficiente”. Uma nação que conseguiu atingir esse patamar, certamente tem muito a ensinar.

A lista criada por Helen Russel após sua experiência  inclui ponderações como arrumar um ambiente agradável que priorize o conforto e bem-estar (já ouviu falar do estilo dinamarquês chamado Hygge?) e respeito a todos os tipos de trabalho (na Dinamarca, praticamente não há hierarquia baseada em funções ou profissão, ou seja, todos os profissionais têm o mesmo nível de importância). O passo a passo é simples de ser seguidos na vida pessoal e adaptado ao trabalho.

 

Ficou curioso? Dê uma olhada na lista:

 

  1. Confie
  2. Fique hygge
  3. Use o seu corpo
  4. Dê atenção a estética
  5. Direcione suas opções
  6. Tenha orgulho
  7. Valorize a família
  8. Respeite todos os tipos de trabalho
  9. Brinque
  10. Compartilhe

 

 

“Projeto Felicidade” – Gretchen Rubin

Editora Best Seller

 

Do que se trata?

 

Gretchen acredita que o que você faz todo dia importa muito mais do que o que você faz de vez em quando. Essa é uma das grandes premissas de seu trabalho que, em geral, procura felicidade nas pequenas coisas, nos simples hábitos diários. No livro “Projeto Felicidade”, a autora, que foi chamada pelo The New York Times de “a rainha do livro de memórias de auto-ajuda”, descreve o processo pelo qual passou durante um ano em busca de uma vida mais feliz, após propor este desafio a si mesma. Tudo teve início quando ela mesma se perguntou o que queria, afinal, da sua vida, e a resposta foi: “eu quero ser feliz”.

 

Mas o que é a felicidade? De que forma podemos trazê-la para a nossa vida? Essas são as perguntas que Gretchen tenta responder em doze capítulos, cada um dedicado a um mês do ano e uma área da vida.  O mês de janeiro é dedicado à ação, sair do marasmo, dar o primeiro passo rumo aos objetivos. Os próximos meses são dedicados  ao casamento, ao amor, e assim por diante, contemplando todos os temas que Gretchen acredita serem os mais importantes nessa jornada. A conclusão é que é possível alcançar a felicidade em doze meses sem fazer mudanças radicais em sua vida.

 

E o que isso tem a ver com meu trabalho?

 

Não está feliz no trabalho? Gretchen prova que é possível transformar  seu cotidiano por meio de mudanças de comportamento.  Ela mesma transformou sua carreira profissional e, em nome da sua felicidade, virou escritora após ter iniciado a vida profissional como advogada.  A autora incentiva todo mundo a fazer sua revolução por meio de seu próprio Projeto Felicidade, voltado para as vontades e necessidades de cada um. No site dela tem até mesmo as planilhas que ela criou, e outros arquivos para download para quem quiser se inspirar (em inglês).

 

 

“A Coragem de não Agradar”

Editora Sextante

 

O complemento do título é auto explicativo: “Como a filosofia pode ajudar você a se libertar da opinião dos outros, superar suas limitações e se tornar a pessoa que deseja“. Em forma de um diálogo entre um jovem e um filósofo, o livro se apoia nas teorias do psicólogo Alfred Adler e, ao longo de cinco noites de conversas intensas, discute temas como autoestima, raiva, autoaceitação e complexo de inferioridade.

 

E o que isso tem a ver com meu trabalho?

 

O livro é um verdadeiro passo a passo de como libertar-se das expectativas alheias e das dúvidas que nos paralisam e encontrar a coragem para mudar, fatores que podem facilmente ser aplicados à vida profissional. Quer parar de se sabotar no trabalho? Está infeliz com a sua carreira e não sabe o que fazer? O filósofo oferece ao rapaz as ferramentas necessárias para que ele se torne capaz de se reinventar e de dizer não às limitações impostas por si mesmo e pelos outros. Como diz o autor diz no livro, “quando se está preso ao desejo de reconhecimento, as cartas do relacionamento estão sempre nas mãos dos outros. Você oferece as cartas da vida a outra pessoa ou prefere segurá-las?”.