Empreg(h)abilidade

Por que é hora de investir em carreiras com foco em dados

O melhor emprego dos EUA é o de data scientist – saiba como ingressar na área

Por que é hora de investir em carreiras com foco em dados

compartilhar:

Não é novidade que diariamente pessoas e empresas produzem uma quantidade gigantesca de dados. Porém, para essas informações serem organizadas e transformadas em insights que direcionam as estratégias das companhias, novas profissões têm surgido ou crescido em importância e chamado a atenção de quem entra ou já está no mercado de trabalho. É o caso do data scientist, ou cientista de dados.

 

Ao contrário do que muitos pensam, os métodos científicos não estão mais restritos aos convencionais laboratórios onde profissionais de jalecos brancos fazem complexos experimentos. O cientista das informações consegue aplicar essas metodologias acadêmicas aos dados de negócios. Em geral, são formados em cursos como matemática, física e estatística, entre outros, já que não existe uma formação específica para a área no Brasil.

 

Além do conhecimento do método científico, para seguir a profissão, conhecimento em programação é imprescindível, unido a uma grande capacidade para fazer perguntas. Algo que pode parecer simples, mas é o principal desafio dos que almejam seguir carreira nessa área. O questionamento correto é o ponto de partida que leva o cientista onde ele quer chegar.

Com base nas evidências coletadas nesse processo, os profissionais desenvolvem e testam hipóteses sobre problemas de negócios, por isso também precisam de habilidade para resolver problemas complexos. Outra importante tarefa do cientista de dados é ser capaz de transmitir tudo aquilo que os dados querem dizer. Portanto, não seria exagero dizer que este profissional é um verdadeiro contador de histórias. Afinal, saber “traduzir” os dados é um fator de sucesso que faz a diferença nessa carreira. E aí, se identificou com o perfil?

 

Se sim, pode começar a comemorar. Estes profissionais atingem salário médio de R$ 9.020,00 no Brasil, bem acima da média nacional, de acordo com o site Love Mondays. O Guia Salarial 2019 da Robert Half aponta salário mínimo de R$ 13.000,00 e máximo de R$ 22.000,00 para especialista em big data (cientista de dados), uma variação de 2,9% em relação aos valores de 2018. O profissional mais júnior, analista de big data, tem remuneração entre R$ 5.500,00 a R$ 12.500,00 segundo o mesmo guia – remuneração nada mal para quem está começando.

 

Exclusivo para Assinantes

Clique aqui