“Não Me Perturbe” acelera o fim do telemarketing?

Função tem alto risco de ser automatizada e substituída por robôs nos próximos anos
22/07/2019

Desde o último dia 16 de julho de 2019 entrou no ar o site “Não Me Perturbe”, no qual qualquer pessoa pode se cadastrar e incluir seu número de telefone para que as operadoras não entrem mais em contato, exceto em casos de cobrança. A notícia é ótima para os consumidores que não aguentam mais ser importunados com ofertas dessas empresas, e fizeram 845 mil cadastros no primeiro dia de funcionamento da plataforma. Mas há uma classe que, no final, sai perdendo: a dos operadores de telemarketing.

 

O motivo é o risco de fim dessa atividade, pelo menos como conhecemos hoje. Segundo uma ferramenta criada pela UNB (Universidade de Brasília) para mostrar qual o risco de uma função ser substituída por robôs até 2026, os operadores de telemarketing ativos e receptivos têm nada menos que 100% de chances que isso aconteça. Com a criação do “Não Me Perturbe” pelas empresas de telefonia por determinação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), o desaparecimento dessas vagas pode ser acelerado, segundo o professor Pedro Albuquerque, um dos pesquisadores do Laboratório de Aprendizado de Máquina em Finanças e Organizações (LAMFO) da UNB, área responsável por essas estimativas.

 

O risco, que agora aumenta, já vem sendo apontado há algum tempo, e não apenas no Brasil. Um estudo da Universidade de Oxford (The Future of Employment) também já mostrava, em 2013, que a chance da função do operador de telemarketing desaparecer era de 99%, fazendo com que esta atividade fosse considerada a menos segura de toda a lista de profissões avaliadas na pesquisa, na época.

“Esta já é uma profissão que está desaparecendo, e com essas ferramentas pode ser mais rápido ainda”, alerta Albuquerque. Ele explica que não há como dizer o quanto este processo será acelerado, pois ainda há uma barreira cultural ao atendimento feito por robôs, além da atual limitação de mão de obra dos profissionais que desenvolvem e preparam estes robôs para o mercado. O fato é que estes profissionais devem ficar atentos e começar a se preparar para a extinção dessa ocupação.