Não tem como fugir do upskilling

O programa de capacitação da PwC promete investir US$ 3 bilhões para melhorar e automatizar os processos, além de preencher uma lacuna de conhecimento na formação de jovens entre 18 e 24 anos
10/03/2020

Com o avanço da transformação digital, termos como upskilling e reskilling vão se tornar cada dia mais comuns nas organizações. Sinal dos novos tempos, diversas multinacionais já anunciaram investimentos de milhões de dólares na adaptação dos conhecimentos de seus times. Ao que parece, nem todos estão prontos para automatizar tarefas. Afinal de contas, o que fazer quando um job que levaria dois dias se torna uma mera “questão de clique”?

 

De acordo com o digital partner da PwC, Sérgio Alexandre Simões, a grande dificuldade nesse processo é fazer com que os executivos entendam a necessidade de dispor de seus melhores colaboradores para esse tipo de capacitação e também fazer com que esses profissionais atuem como líderes da transformação digital. “Todo mundo fala de transformação, de mudança, mas ninguém quer mudar. Todo mundo quer fazer como sempre fez”, comenta.

 

 

Globalmente, a PwC deve investir US$ 3 bilhões no seu projeto de upskilling de funcionários. Nessa primeira fase, a empresa está olhando para os seus próprios colaboradores, mas a ideia é exportar esse tipo de solução para seus clientes e também instituições de ensino e governos. No Brasil, Simões explica que o programa quer melhorar e automatizar os processos da empresa e, ainda, ajudar a preencher uma lacuna de conhecimento na formação de jovens entre os 18 e 24 anos. No entanto, será que o upskilling é uma alternativa contra o desemprego? Confira a entrevista completa para a IT Trends no vídeo: