O que diz um futurista do mundo pós-pandemia

Vírus que parou o mundo pode ser apenas o começo de mudanças profundas

Tiago Alcantara

09/04/2020

Seja fruto da imaginação de um escritor de ficção científica ou em relatórios da Organização Mundial da Saúde (OMS), a possibilidade de uma pandemia não é um tema novo. No entanto, para os futuristas – profissionais dedicados ao estudo do campo de possibilidades que forma o futuro – dizer algo como “eu avisei” para o colapso gerado pelo Covid-19 não tem a menor sensação de recompensa.

 

Então, o que é que um futurista diria hoje sobre um cenário no qual o vírus esteja controlado pelos sistemas de saúde de todo o mundo? Para o futurista e pesquisador do Institute for the Future Jacques Barcia, acredita que não foram tomadas providências para que a humanidade estivesse mais preparada para lidar com o Covid-19 por uma dificuldade na hora de engajar governos e organizações para essa narrativa e também por uma questão de inércia dos sistemas.

 

 

“[A pandemia do Covid-19] é uma crise de saúde, mas é principalmente uma crise de governança”, afirma Barcia. De acordo com o pesquisador, essa pode ser apenas a primeira de uma série de crises vividas nesta década. A aposta do futurista é de que a ruptura climática pode ser o resultado de um colapso sistêmico por conta das intervenções humanas na natureza.

 

 

Futuro do trabalho

 

Além da questão óbvia da saúde, o desemprego é um dos aspectos que mais preocupam as pessoas ao redor do globo. Para o pesquisador do Institute for the Future os impactos no mundo do trabalho após a pandemia do Covid-19“vão muito além do home office”. A possibilidade de gerenciar times de maneira remota tem sido comentada por especialistas como uma quebra de paradigma. “Isso é muito pequeno diante da transformação histórica que é esse momento que a gente está passando” diz Barcia.

 

 

As tais mudanças falam tanto de falhas no nosso sistema quanto de problemas da economia digital, na visão do futurista. O crescimento do número de pessoas tendo atividades relacionadas aos aplicativos de entregas e caronas como principal fonte de renda são alguns dos problemas apontados: “a pandemia tocou num ponto que deixou óbvio como as promessas da gig economy iam colapsar em algum momento. O Covid-19 vem tocar nesse ponto para mostrar quão insustentável é uma economia de plataforma sem garantia nenhuma”.

 

“Não que o vírus vá mudar o capitalismo, mas alguma coisa tem que mudar nos nossos sistemas financeiros ou na nossa forma de entender, trabalho, emprego e renda para poder responder a coisas como o Covid-19”

Jaques Barcia, futurista e pesquisador do Institute for the Future

 

Confira os melhores trechos da entrevista da IT Trends com o futurista e pesquisador: