Aumento dos dados disponíveis exige adaptação do profissional de finanças

Gestores precisam definir claramente as perguntas que o Analytics precisará responder e participar ativamente da escolha das ferramentas

Carolina Pereira

25/11/2019

Foi-se o tempo em que o gestor financeiro só precisava saber fazer cálculos. Para entender as mudanças pelas quais este profissional vem passando, a seção semanal “3 Perguntas sobre Carreira” traz uma conversa com a Microstrategy sobre o impacto da transformação digital no dia a dia desta área. Renzo Palacios, diretor financeiro na empresa, explica que o crescimento dos dados disponíveis para a tomada de decisão tem impactado diretamente o departamento de finanças, que já não pode mais lidar com os números em simples planilhas de Excel.

 

“Um time de finanças precisa entender o que acontece na operação, digerir as informações e ter insights. E definitivamente isso não é possível usando o Excel”, alerta o especialista. Entre as dicas dadas por ele para os profissionais da área de finanças, está saber definir claramente as perguntas que o Analytics precisará responder e participar ativamente das escolhas das ferramentas. Confira a entrevista:

 

3 Perguntas sobre Carreira para:

Renzo Palacios, diretor financeiro da Microstrategy

 

 

IT Trends – Quais as principais mudanças que os profissionais de finanças vêm sofrendo em meio à transformação digital?

 

Renzo Palacios – Vivemos em um mundo de constante transformação. É fato que não importa o tipo de indústria ou empresa, os negócios estão tornando-se cada vez mais digitais. O processo de digitalização dos negócios, de maneira geral, começa com as atividades de comunicação, em seguida passam para Customer Care e, gradualmente, estendem-se por toda a empresa. E a área de finanças, claramente não é uma exceção.

 

Seria errôneo dizer que nesse contexto digital o papel do gestor financeiro tenha mudado. Ele segue atuando como advisor estratégico, responsável por otimizar a alocação de recursos da empresa e, ao mesmo tempo, zelar que a forma como as tarefas são executadas esteja alinhada com os objetivos estratégicos da companhia. Na verdade, a grande mudança e o desafio estão na maneira de trabalhar de um gestor financeiro.

 

Primeiro, a velocidade com que tudo acontece é muito superior, tanto na geração de dados transacionais, como no que diz respeito ao crescimento do negócio propriamente dito, o que é fruto da escalabilidade digital. Além disso, a disponibilidade de informação e de dados brutos para a tomada de decisões é infinitamente maior do que em negócios analógicos.

 

IT Trends – Quais são as principais dicas para que estes profissionais se adaptem a esta nova realidade e não ficarem para trás?

 

Renzo Palacios – Um time de finanças precisa entender o que acontece na operação, digerir as informações e ter insights. E definitivamente isso não é possível usando o Excel. Há muito potencial a explorar, muitas formas de analisar, planejar, ter insights a zero clique, sem sair do ambiente de trabalho.  É fato que o gestor financeiro tem muito mais informações para tomar decisões e precisa de ajuda para fazer um bom uso disto. Algumas dicas:

 

  • A Diretoria Financeira, em conjunto com as áreas de negócio, precisa definir com muita clareza quais são os assuntos e as perguntas chave a serem respondidas pelo Analytics.
  • O time de finanças precisa saber como tratar e gerenciar grandes quantidades de dados. Longe estão os dias nos quais o gestor financeiro só precisava sabe fazer cálculos financeiros de TIR ou ROE.
  • E, finalmente, para poder encarar este novo ambiente de negócios, o time de finanças precisa envolver-se desde o começo, ou seja, participar do processo de escolha da ferramenta mais adequada para seu business. Tem que ser uma tecnologia que permita planejar e que não só gerencie uma grande quantidade de dados, mas que admita previsões futuras. Em suma, a melhor ferramenta é aquela que te atenda.

 

IT Trends – O que prevê que ainda irá mudar para este profissional nos próximos anos? 

 

Renzo Palacios – Nos próximos anos,  quantidade de dados vai continuar crescendo exponencialmente. 5G, internet of things, AI, entre outras tecnologias devem potencializar a geração, gestão e a necessidade de análise de dados. Nesse contexto, o profissional de finanças terá de desenvolver e aprimorar cada vez mais as habilidades de tomada de decisão e ter insights de negócios partir de uma vasta quantidade de dados; além, é claro, do conhecimento técnico financeiro.