Futurismo

Prepare-se para estar no centro na sociedade 5.0

É hora de posicionar o ser humano no centro da inovação tecnológica

Prepare-se para estar no centro na sociedade 5.0

compartilhar:

Um mundo novo vem aí. Na verdade, o mundo permanecerá o mesmo, mas a lógica de como ele funciona é que vai mudar. E muito. Essa é a proposta da Sociedade 5.0, um projeto ousado — mas imprescindível — do governo japonês para impulsionar o desenvolvimento de uma sociedade que utilizará as inovações desenvolvidas pela Indústria 4.0 para impulsionar a qualidade de vida das pessoas. O próprio país define o conceito como uma sociedade “supersmart” onde tecnologias como IoT, Inteligência Artificial, Big Data e robótica vão ajudar a solucionar os atuais problemas sociais. 

 

A principal expoente do mundo no assunto — Yoko Ishikura — esteve no Brasil pela primeira vez em março de 2019 para palestrar sobre a iniciativa com CIOs e CEOs das maiores empresas do país no IT Forum. Professora emérita da Universidade Hitotsubashi e consultora independente em estratégia global e talentos, Yoko afirmou que um dos problemas sociais mais agudos que o Japão enfrenta hoje é o envelhecimento acelerado da população.  

 

Atualmente há 126 milhões de japoneses vivendo no país, número esse que alcançou seu ápice em 2010, quando chegou a 128 milhões. Desse total, 28% possui mais de 65 anos, quebrando um recorde inédito de um a cada cinco cidadãos ter acima de 70 anos, de acordo o jornal The Japan Times. Traçando um paralelo com o nosso país, 13% dos brasileiros são considerados idosos, segundo o IBGE. Isso significa que, em números percentuais, o Japão possui mais que o dobro de idosos, com um número de habitantes que equivale a quase metade da nossa. 

 

Ishikura revelou aos convidados mais um dado preocupante. A pesquisa realizada pela Universidade Nacional de Singapura e o Instituto de Educação de Hong Kong, publicada pela The Economist, aponta que perto de 30% das suas residências nipônicas são constituídas por apenas uma pessoa. Ou seja, um terço da população vive sem a companhia de pais, filhos, avós ou amigos. Na Índia, esse número representa menos de 5%. Isso inevitavelmente cria enormes desafios para a previdência social, o mercado de trabalho e a saúde pública. 

 

Outro dilema apresentado pela professora se refere à força de trabalho. Com o terceiro maior PIB nominal do mundo, era de se esperar que a produtividade dos trabalhadores japoneses fosse equiparada ao seu potencial econômico, mas não é o caso. Entre os países considerados G7, o país ocupa a última colocação nesse quesito, atrás da Itália e Canadá, como mostra a pesquisa da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Já outro estudo da mesma organização mostra como a produtividade está em baixa em diversos países pelo mundo:

  

 

 

  

 

Foi a partir desse complexo desafio demográfico e mercadológico que nasceu a iniciativa 5.0, com o intuito de transformar a sociedade como um todo — empoderando não só idosos — mas toda a população a obter uma vida mais inclusiva, justa e que respeite o estilo de vida de todos os cidadãos. A Federação das Organizações Econômicas do Japão, conhecida como Keidanren, descreve o objetivo do projeto da seguinte maneira: 

 

“Promover um aumento da mobilidade profissional para criar um ecossistema no qual maneiras diversificadas e flexíveis de se trabalhar sejam aceitas e cada indivíduo possa desempenhar um papel ativo na sociedade” 

 

No futuro, todas as pessoas serão empoderadas a criar valor a qualquer hora, em qualquer lugar. Estaremos — enfim — em harmonia com a natureza. A exploração predatória dos recursos naturais deixará de existir. Seremos livres de barreiras existentes hoje: pessoas com paralisia poderão andar, deficientes visuais poderão enxergar, pessoas em idade avançada poderão viver sozinhas graças às tecnologias disruptivas. Nesse cenário, os indivíduos precisarão de imaginação para transformar o mundo e criatividade para materializar as ideias. No final, a Sociedade 5.0 será a Sociedade da Imaginação. 

 

Como você pode ter percebido, cada um de nós terá muitas vantagens na implementação desse projeto. A Federação das Organizações Econômicas do Japão destaca quatro principais benefícios que vão valorizar os indivíduos e melhorar nosso dia a dia. 

 

Newsletter

Inscreva-se e receba somente o que importa sobre transformações digitais

Obrigado!

Quer acesso ilimitado a todo conteúdo da IT Trends?

Quero aproveitar meu 1º mês por R$1,97 Cancele quando quiser sem burocracia

4 benefícios para a sociedade 

  

 > Saúde 5.0 

 Na sociedade do futuro, nossos dados médicos — hoje espalhados por diversos hospitais — serão conectados e compartilhados entre pacientes e médicos. Dessa forma o tratamento médico será muito mais efetivo. A Inteligência Artificial e robôs vão abrir as portas para os serviços médicos remotos, impulsionando a independência das pessoas e permitindo que os idosos visitem os hospitais com menos frequência. A própria casa ajudará a estender a expectativa de vida ao mensurar os dados de saúde dos habitantes, como a sua capacidade auditiva.  

  

 > Mobilidade 5.0 

 A utilização de drones e táxis e ônibus autônomos vai tornar a mobilidade nas áreas remotas e rurais mais acessível. Se hoje as pessoas que moram longe de grandes centros têm dificuldade de fazer compras e visitar um hospital, na Sociedade 5.0 isso não será mais um problema. As viagens serão facilitadas mesmo que haja falta de motoristas disponíveis no mercado. O Brasil sentiu na pele (e no bolso) os efeitos da escassez de mão de obra em 2018, quando estourou a greve de caminhoneiros, o que provocou a falta de combustíveis, a alta dos preços, muitos supermercados com prateleiras vazias, escolas sem aulas e outras consequências negativas. 

   

> Infraestrutura 5.0 

 As pontes, estradas, túneis e outros diversos tipos de obras serão inspecionadas por meio de sensores, Inteligência Artificial, robôs e Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Os reparos serão detectados quando estiverem em seu estágio inicial, minimizando os acidentes inesperados e os custos de construção, enquanto a segurança e a produtividade passarão a crescer. A falta de profissionais qualificados para esse tipo de trabalho deixará de ser um transtorno. E será cada vez mais difícil ter casos como o do viaduto na Marginal Pinheiros, em São Paulo, que cedeu em 2018 e causando congestionamentos durante meses. 

   

>Fintech 5.0 

 A nova economia será baseada em Blockchain. A tecnologia do bitcoin vai descomplicar os procedimentos bancários e promover o pagamento sem dinheiro. Hoje, fazer uma remessa internacional é lenta e cara devido às taxas bancárias. O Blockchain vai reduzir tempo e custo e ainda oferecer mais segurança nas transações entre pessoas e empresas devido às suas características intrínsecas, como já abordamos em outra análise. Bancos e FinTech farão uso de APIs (Interface de Programação de Aplicações) para fazer negócios com seus consumidores. 

  

  

Ikigai – Qual o seu propósito de vida? 

   

Com o ser humano no centro de tudo e as tecnologias impulsionando nosso bem-estar, a vida será mais confortável e independente do que nunca. Não existirá mais jornadas de trabalho desumanas; não precisaremos trabalhar a vida toda em um emprego que não faça sentido para nós. Na Sociedade 5.0 poderemos focar nas coisas que gostamos de fazer e que nos dão prazer, e ainda ser pago por isso. Identificar o que são essas coisas passa a ser nossa prioridade. Todos nós precisamos descobrir nosso propósito de vida. É aí que entra o Ikigai, conceito japonês antigo relacionado à longevidade e a felicidade.  

 

Segundo Ken Mogi, neurocientista e autor do livro “Ikigai: Os cinco passos para encontrar seu propósito de vida e ser mais feliz”, o Ikigai é a sua razão de viver. É o que motiva você a levantar da cama todos os dias. Alcançar essa “iluminação” passa pela análise de si mesmo, recomenda Mogi. Pergunte-se: que tipo de pessoa eu sou? Tente lembrar dos seus sonhos de infância. Pense nas coisas que te dão prazer. Pois isso está intimamente ligado à nossa personalidade, ao nosso jeito de ser. 

 

Ikigai tem origem em Okinawa, conjunto de ilhas localizadas ao sul do Japão onde sua população possui uma expectativa de vida média bastante alta, maior até mesmo que os padrões japoneses. Acredita-se que uma vida com propósito seja um dos motivos que levam parte dos moradores a ultrapassarem os 100 anos de idade. Encontrar o sentido da sua vida faria você seguir em frente e o manteria constantemente motivado. 

 

Para finalizar, selecionamos uma frase de Yoko Ishikura que traduz a Sociedade 5.0 com uma simplicidade típica da cultura japonesa: 

 

“Tecnologia por si não tem valor. É preciso dar valor à vida das pessoas por meio da tecnologia.”