Revolução da computação quântica pode garantir seu próximo emprego

Apesar de aplicações ainda serem incertas, tendência é que as empresas passem a investir mais neste tipo de tecnologia

Françoise Terzian

04/12/2019

A computação quântica tem potencial para transformar o mundo. De acordo com a IBM, ela poderá estimular o desenvolvimento de novas descobertas científicas, medicamentos para salvar vidas, métodos de aprendizado de máquina para diagnosticar doenças mais rapidamente e até estratégias financeiras para viver bem na aposentadoria. O Google também acredita nesse poder. Tanto que atingiu a chamada “supremacia quântica”. Esse feito se deu quando um computador quântico conseguiu concluir, em três minutos, um cálculo que uma máquina clássica levaria 10 mil anos para processar.

 

Essa mudança de paradigmas irá, inevitavelmente, levar ao surgimento de novas carreiras, como a de especialista em computação quântica, um expert deve ter por formação Matemática, Física ou Computação. Apesar de ainda não haver um mercado de trabalho grande e formatado para esse profissional, uma vez que a adesão aos computadores quânticos ainda é baixa em todo o mundo, há potencial para ficar de olho.

 

A Catho lembra que apenas certas universidades e empresas (como Google e IBM) possuem computadores quânticos – esses ainda são gigantescos, ocupando o tamanho de uma sala, e não compactos e móveis.  Se trata de uma área relativamente nova e em fase de experimentação. Apesar de incipiente, esse nicho de mercado é promissor. “Assim como em qualquer novo paradigma tecnológico, a Computação Quântica tem potencial para transformar o ambiente de negócios de vários segmentos da economia”, afirma Alex Takaoka, diretor de vendas da Fujitsu.

 

A tecnologia, acredita o executivo, é muito promissora e terá capacidade para resolver cálculos e problemas hoje “insolúveis” com a tecnologia computacional existente. “Descoberta de novos materiais, otimização máxima de processos, velocidade na interpretação de dados e padrões em escalas sem paralelos com o que temos atualmente. Com todo esse horizonte, a projeção é que exista a aceleração na substituição do trabalho “humano” em tarefas repetitivas, ou automatizáveis, ao mesmo passo que isso tende a deslocar os profissionais para as carreiras nas quais o aspecto humano e a empatia serão essenciais e indispensáveis”, observa Takaoka.

“Computação Quântica tem potencial para transformar o ambiente de negócios de vários segmentos da economia”

Toda essa transformação, apostam especialistas, certamente trará novas e diferentes oportunidades de trabalho, tanto de forma direta, como indireta. E o fato de ser novidade pode impulsionar aqueles profissionais que saírem na frente. “Vale destacar que, com a velocidade evolucionária da tecnologia, quem iniciar antes sempre terá uma vantagem competitiva no mercado de trabalho”, avisa Takaoka.

 

Ter raciocínio rápido, lógico e, pasmem, empatia, são habilidades desejadas nesse profissional que vai fazer carreira na área. Há, hoje, alguns tipos de conhecimento valorizados e necessários tanto em computação quântica quanto em Inteligência Artificial. Nesse caso, Takaoka recomenda o domínio de matemática aplicada, física e estatística. E também de ciência e gestão de dados. Em programação, destaque para Python, Py torch, Tensor Flow e afins.

Formação mais sólida em matemática, conhecimentos em implementação de Inteligência Artificial e Big Data são aceleradores para entrada na programação quântica. “Porém, habilidades relacionadas a auto-aprendizado e experiência relevante em alguma vertical de negócios tendem a tornar o profissional mais atrativo ao mercado”, explica Takaoka.

 

Além de habilidades como pensamento lógico e analítico, o profissional que quiser trilhar uma carreira em computação quântica precisará oferecer mais do que seu lado racional. “Skills interpessoais como empatia, inteligência emocional, capacidade de aprender e tomar decisões são imprescindíveis.

Além de habilidades como pensamento lógico e analítico, o profissional que quiser trilhar uma carreira na área de computação quântica precisará oferecer mais do que seu lado racional

Com interações homem/máquina, a máquina vai exigir isso cada vez mais do homem. O humano vai ter que olhar a qualidade da informação”, afirma Patrícia Feliciano, diretora de talentos da Accenture. Ela ressalta: mais do que automatizar, tecnologias avançadas como a vem ressignificar o trabalho. Mudanças na interação humano/máquina.

 

Primeiras iniciativas e desafios

 

Hoje, as principais empresas de TIC, como IBM, Microsoft, Fujitsu, dentre outras, já contam com iniciativas na área em território nacional. “Sendo assim, a demanda tende a aumentar nos próximos anos, uma vez que as plataformas também devem se tornar mais estáveis para aplicação comercial”, prevê Takaoka.

 

Quanto a salários, ninguém tem uma tabela pronta de valores para apresentar. O executivo da Fujitsu, no entanto, acredita que o valor deve ser acima da média de especialistas atuais, pois até que a tecnologia se torne mais simples, com camadas de abstração, não haverá uma quantidade grande de profissionais aptos a lidar com o desafio, o básico da lei de oferta e demanda.

 

A computação quântica tratá novas oportunidades, bem como novos desafios. “Como computadores quânticos terão capacidade de resolver algoritmos matemáticos complexos com mais agilidade, podemos esperar que a tecnologia ofereça soluções igualmente mais rápidas, como métodos de aprendizado de máquina para diagnosticar doenças mais cedo, teletransporte de informações de um local a outro sem transmiti-las fisicamente,  previsões de comportamento de ações, investimentos e criptomoedas, novas opções de iluminação orgânica, controle mais preciso dos sistemas de transporte das cidades, previsão de catástrofes naturais como terremotos, entre outras”, conta Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky.

 

Apesar de estas aplicações ainda serem incertas, a tendência é que as empresas passem a investir mais neste tipo de tecnologia e, dessa forma, seja aperfeiçoada. Há, no entanto, um porém do ponto de vista de cibersegurança. A computação quântica traz um grande desafio, ao passo que um processamento infinitamente mais rápido permitirá que cibercriminosos quebrem criptografias que hoje são indecifráveis. “Neste sentido, é fundamental que as empresas também desenvolvam um novo padrão de criptografia blindado à computação quântica a fim de garantir a segurança de ambientes como páginas web, e-mails e APPs”, diz Assolini.

 

O uso das soluções de computação quântica no nosso dia a dia deve demandar uma série de novas exigências no âmbito profissional, ou seja, as pessoas que trabalham nas áreas que se beneficiam do uso desta tecnologia precisarão se adaptar para atender a competências técnicas que hoje ainda não são exigidas. Isso se aplica para profissionais de tecnologia em termos gerais, mas também para áreas como medicina, agricultura, mobilidade urbana, finanças, sismologia, entre outras.