Transformação digital: adapte-se com estas cinco dicas

Autoconhecimento e melhoria contínua são essenciais para os profissionais se adaptarem aos novos cenários corporativos
21/10/2019

O fator humano tem sido um dos mais importantes nos processos de transformação digital pelos quais a maioria das empresas (se não todas) tem passado atualmente. Quando decide se tornar digital, a companhia precisa se reinventar, e esse processo de adaptação passa pelas pessoas, principalmente as lideranças (mas não só elas). Para acompanhar todas essas mudanças, os profissionais precisam se atualizar.

 

Há alguns anos, a CI&T já havia percebido que o principal desafio das empresas para a transformação digital era o mindset dos profissionais, e resolveu criar uma metologia para facilitar todo esse processo de mudança. Um dos principais problemas verificados pela empresa eram os líderes ainda muito habituados com o comando e o controle, características que já não cabem mais no cenário corporativo atual.

 

Um dos motivos é que transformação dos profissionais, principalmente os mais jovens, tem afetado todo o ambiente e as relações de trabalho. Hoje, em meio a tantas mudanças trazidas pela tecnologia, as demandas e a necessidade dos colaboradores são muito diferentes, e exigem perfil diferenciado dos gestores. “As gerações mais novas demandam uma mentalidade diferente. Por isso, para os líderes, é preciso saber desenvolver um time que seja solucionador de problemas”, alerta Marlon Silva, estrategista de liderança e coaching na CI&T no Brasil.

Essa mentalidade é necessária, também, para desafogar a própria “bagagem” do líder, para que não fique tão pesada. A dica do especialista é: “menos contato com o problema e mais com o humano”. “Hoje há o líder servidor, muito mais disposto a servir o time e ter um olhar cuidadoso com toda a equipe. É preciso saber proporcionar o protagonismo dos profissionais”, alerta Silva.

 

Para não sofrer as consequências de não acompanhar a atual realidade do mercado, líderes e demais profissionais têm a necessidade de encarar o novo, distanciar-se da zona de conforto e aproximar-se do mindset digital. Para isso, Silva cita cinco dicas práticas aos leitores da IT Trends.

 

Cinco dicas para fazer a sua transformação digital

 

Delivery ágil: o novo timing do mercado, em função do consumidor real-time, entre outros fatores, exige agilidade não somente no desenvolvimento de um produto, mas todos os setores envolvidos, mudando a cultura organizacional. O atual mundo corporativo exige agilidade nas entregas, com ciclos curtos. Isso é possível principalmente por meio da criação de Squads, modelo que consiste em dividir a equipe em pequenos times multidisciplinares com objetivos específicos.

 

Liderança colaborativa: o líder, agora, deve ter habilidades de coach, com menos contato com o problema e mais com o humano. É o que a CI&T chama de liderança lean. “Quando um líder torna-se também um coach, ele é capaz de aplicar essas habilidades em sua própria equipe, em outros gestores pares que, consequentemente, vão reproduzi-las em seus times. Este é o modelo Lean Coaching”, explica Marlon Silva. Diferentemente do coaching tradicional, este modelo forma líderes capazes de auxiliar pessoas a descobrirem novos modos de atuar, potencializar talentos e buscar a melhoria contínua, tão fundamental no atual mercado.

 

 

Autoconhecimento e autodesenvolvimento: o protagonista da sua carreira é você. Não é de hoje que você lê aqui na IT Trends sobre a importância de sair da zona de conforto e investir no seu próprio conhecimento e desenvolvimento. Isso é ainda mais importante no caso da liderança. Quem não conhece o que lhes motiva, seus modelos, seus valores e seu propósito também não consegue motivar outros profissionais. A melhor ferramenta para melhoria contínua é o feedback. Mas é preciso aprender a receber feedbacks e não cair na vitimização. Quem cai nessa armadilha entra em negação e volta para a zona de conforto.

 

Melhoria contínua: a tecnologia criou consumidores cada vez mais conectados e exigentes, não importa o tipo de produto ou serviço que a empresa ofereça. A transformação digital exige dos profissionais a mentalidade de melhoria contínua: ciclo de autoconhecimento, autodesenvolvimento e coaching nunca termina, e tanto líderes quanto outros profissionais devem cada vez mais buscar o aprimoramento constante.

 

Metas, comunicação e engajamento – equipes colaborativas são uma tendência nas empresas inovadoras. Para colocar isso em prática, saber se relacionar e comunicar com colegas é essencial. É preciso saber traduzir de forma clara para a equipe as metas para consegui gerar engajamento e, consequentemente, resultados positivos. Para isso, além de saber aonde quer chegar, é preciso saber quando quer chegar lá e mapear a jornada de desenvolvimento.

 

Receba somente o que importa sobre transformações digitais