Você já está pronto para o futuro do trabalho?

Sua sobrevivência depende da capacidade de aprender e desaprender; prepare-se

Da Redação

15/02/2019

O economista e futurista Alvin Toffler foi responsável por criar, ainda na década de 80, o conceito de Terceira Onda (The Third Wave), que simboliza a revolução do conhecimento na sociedade. Essa revolução chega após as revoluções agrícola e industrial e é marcada pela importância do acesso, armazenamento, distribuição e disseminação de informações, que passam a ter papel central na economia mundial. Afinal, o volume de informação produzido nos últimos dois anos é maior do que a quantidade criada em toda a história da humanidade. As ondas definidas por ele correspondem a transformações profundas da sociedade, que deixam muita coisa obsoleta, mas também criam novas oportunidades.

 

Neste cenário, o valor dos produtos e serviços disponíveis em todos os setores depende muito mais do percentual de tecnologia e inteligência a eles incorporados. O principal meio de produção é o “cérebro” das empresas, criando uma nova realidade de trabalho para todos. De acordo o World Economic Forum (Fórum Econômico Mundial), em seu último relatório sobre o Futuro do Trabalho (The Future of Jobs Report 2018), as oportunidades inerentes à prosperidade econômica, progresso social e florescimento individual neste novo mundo de trabalho são enormes, mas dependem crucialmente da capacidade de todos os interessados em promover reformas.

 

Tais reformas passam pelos sistemas de educação e formação, políticas do mercado de trabalho, abordagens empresariais para desenvolver competências, acordos de emprego e contratos sociais existentes. ­­­­E, claro, pela capacidade e empenho de cada profissional de se adaptar individualmente. Em resumo: as novas configurações do mercado de trabalho trazem ameaças, mas também oportunidades àqueles que souberem e conseguirem se preparar.

 

Ainda de acordo com o World Economic Forum, como tem sido o caso em toda a história econômica, espera-se que este novo cenário crie tarefas totalmente novas — desde o desenvolvimento de aplicativos até a pilotagem de drones para monitorar remotamente a saúde dos pacientes — abrindo oportunidades para toda uma nova gama de meios de subsistência para os trabalhadores no mundo todo nos próximos anos. Ao mesmo tempo, entretanto, também está claro que a onda de avanço tecnológico da chamada Quarta Revolução Industrial está destinada a reduzir o número de trabalhadores necessários para certas tarefas operacionais.